Saiba como não cair no golpe do protesto

0

O Instituto de Protesto-MG explica como não ciar no golpe do protesto. Se houver dúvidas ao receber um telefonema oui email falso, o cidadão deve ligar para o cartório

Você sabe como não cair no golpe do protesto? Golpistas têm ligado ou enviado e-mails para cidadãos informando que ele está com um título protestado e oferecem vantagens para a solução da questão por meio de depósito bancário ou transferência de valores. “Não entregue dinheiros a eles, pois, com certeza é golpe”, alerta Raquel Duarte Garcia, diretora-executiva do Instituto de Protesto-MG e tabeliã de Ouro Branco (MG).

Se ficar a dúvida se é o golpe do protesto, ela reforça que a pessoa deve telefonar para o cartório antes de adotar qualquer atitude. “Lembrando que não é recomendado ligar para o número que consta na cobrança da dívida ou informado pelos golpistas, porque se o documento ou a ligação forem falsas, o telefone também será”, enfatiza.





É possível verificar no site do Instituto o telefone dos cartórios para ligar e confirmar se a intimação que recebeu procede. “Caso o CPF ou CNPJ possuam protestos, a pesquisa informará em quais cartórios eles se encontram. Para obter mais detalhes sobre o registro, o interessado pode solicitar uma certidão do cartório em que foi localizado o protesto,” comenta Raquel.

O Instituto de Protesto-MG explica que, sempre que uma pessoa é protestada em cartório em razão de inadimplência, é enviada carta com Aviso de Recebimento (AR) ou, então, o próprio funcionário do cartório comunica o fato.

A diretora-executiva lembra também que, quando uma pessoa recebe uma intimação do cartório de protestos, ela tem até três dias úteis, após o recebimento, para se dirigir ao cartório onde o protesto foi registrado e fazer a quitação da dívida. “É importante ressaltar que durante esse período de três dias úteis, o protesto ainda não foi efetivado. Caso o devedor não procure o cartório, aí ocorrerá o protesto.”

Raquel informa ainda que entre as consequências para a pessoa que é protestada estão: impedimento para financiamentos e empréstimos financeiros; restrições na agência bancária para retirada de talões de cheques, cartões e empréstimos; e inclusão do CPF ou CNPJ em cadastros de proteção ao crédito, porque os cartórios de protesto fornecem certidões diárias a esses órgãos.

E, na esfera judicial, o credor terá em seu poder a prova formal, revestida de fé pública, de que o devedor está inadimplente ou descumpriu sua obrigação. Além disso, o protesto não deixa de existir após cinco anos, como ocorre com os registros em entidades de proteção ao crédito. Isso ocorre porque o protesto só perde publicidade se for pago ao credor, diferente dos demais cadastros de crédito.

Fonte: Instituto de Protestos de MG

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

O Consumo em Pauta é um site com informações para o dia a dia do consumidor. Nossa missão é entregar aos leitores informações gerais sobre consumo, educação para o consumo e direitos e deveres de consumidores e fornecedores, além de dicas de como resolver pendências de conflitos de consumo. Nosso objetivo: relações de consumo menos conflituosas.