NO RÁDIO: Brinquedo tem nova resolução do Inmetro

0

Agora em todos os brinquedos é obrigatório o número de registro. Com ele, o consumidor poderá verificar no Inmetro se o brinquedo está autorizado a ser vendido

O Dia das Crianças está perto e antes de sair às ruas para realizar a compra do presente saiba que, para brinquedos, uma nova resolução do Inmetro está entrando em vigor. Os brinquedos devem portar, além dos selos do Inmetro, da certificadora e a indicação da idade, um número de registro.

Fabíula Camargo, diretora da Navê Certificadora, vai explicar esta nova norma à jornalista Angela Crespo no programa Consumo em Pauta. A Navê certifica, além de brinquedos, também artigos escolar e artigos de festas.

A nova regulamentação, destaca Fabíula, entra em vigor no fim do ano, mas os brinquedos que estão sendo certificados agora já recebem o número do registro. Ele é um indicador de que foi autorizada a comercialização do brinquedo no mercado brasileiro.

O número de registro vale para brinquedos produzidos no país e importados. “A nova portaria obriga as empresas a certificarem os brinquedos a cada seis meses no primeiro ano após o lançamento. Depois, será feita a cada ano.” Fabíula acrescenta que a certificação periódica obrigatória pelo Inmetro não tem a ver só com a segurança do brinquedo, mas também com a qualidade. Conforme a diretora da Navê Certificadora, para que o brinquedo receba o selo é feita auditoria na fábrica, mesmo que ela esteja na China.

A nova norma do Inmetro ao obrigar a colocar um número de registro em cada brinquedo será um grande aliado do consumidor na identificação de brinquedo com selo falso. Com o número em mãos, ele poderá entrar no site do Inmetro e confirmar a autenticidade dele. “A intenção do número do registro é afunilar a pirataria ou os produtos não seguros no mercado”, lembra Fabíula.

A nova portaria também redefiniu o que é brinquedo. Por exemplo, um livro de banho também hoje é considerado um brinquedo, mas os carros colecionáveis não. Para identificá-los é fácil: não são brinquedos os que estão sob uma base. A massinha com formas é considerada um brinquedo. Agora, se for só a massinha, é material escolar, cuja certificação é também é obrigatória.

Na hora da compra, o consumidor deve ficar atento ao local em que está comprando e evitar camelôs ou comerciantes não estabelecidos. Caso encontre numa loja formal brinquedos sem os selos, deve entrar em contato com o Inmetro.

Se houver algum problema no manuseio do brinquedo, o consumidor deve procurar o lojista ou o fabricante. Todas as reclamações registradas nas fábricas, informa Fabíola, são acompanhadas pelo Inmetro.

Para saber mais sobre a nova regulamentação do Inmetro para brinquedos, acesse a Rádio Mega Brasil Online nesta segunda (01/10), às 16 horas. Reapresentações na terça, às 19 horas, e na quarta, às 9 horas.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

O Consumo em Pauta é um site com informações para o dia a dia do consumidor. Nossa missão é entregar aos leitores informações gerais sobre consumo, educação para o consumo e direitos e deveres de consumidores e fornecedores, além de dicas de como resolver pendências de conflitos de consumo. Nosso objetivo: relações de consumo menos conflituosas.