Aluguel de temporada: cuidados para não cair em golpes

0

Sempre que se aproxima o período de férias, aumenta a procura por ímóvel para aluguel de temporada. É preciso cuidado para não ter prejuízos financeiros ou aborrecimentos. Saiba como se prevenir

Tudo o que se deseja nas férias é tranquilidade para desfrutar, sem aborrecimentos, de alguns dias de descanso e recarregar as energias para voltar à rotina revigorado. Contudo, aluguel de temporada pé um risco, principalmente se o locatário não conhece o imóvel.

Antes de contratar aluguel de temporada procure recomendações de imóveis com amigos ou familiares. Não que isso possa isentar a locação de todos os problemas, mas um locador e uma casa já conhecidos e com boa reputação eliminam consideravelmente os riscos de decepções. Outra dica é procurar imobiliárias.

Antes de fechar o aluguel de temporada

Procure visitar o imóvel com antecedência. Se isso não for possível, peça muitas fotos de cada cômodo. As fotografias ainda são a melhor maneira de reconhecer o interior da casa e evita decepções e propaganda enganosa.



É necessário avaliar cuidadosamente todas as cláusulas do contrato de aluguel de temporada. Nem todos são iguais e podem conter aspectos específicos que exigem atenção. Verifique a data e o período de locação, valor do aluguel, endereço correto do imóvel e principalmente as cláusulas sobre caução. Com o enereço em mãos, verifique no Google Maps o imóvel.

Nunca aceite nenhum tipo de acordo informal. Todas as regras e normas acordadas entre o locador e o locatário devem estar no contrato.

Pergunte ao locador sobre os equipamentos e eletrodomésticos disponíveis na casa e suas condições de funcionamento. Afinal, nada pode ser pior no verão ou no inverno ficar sem ar-condicionado ou ventilador, dar de cara com uma geladeira que não funciona ou um chuveiro quebrado. Peça uma lista completa dos utensílios e inclua o relatório ao contrato.

Verifique se o acordo prevê seguro para um eventual reparo urgente no imóvel durante a estadia. Imprevistos podem acontecer e caso seja necessário contratar um profissional para lidar com o problema que esteja fora das cláusulas do contrato o valor do serviço pode ser abatido das despesas do aluguel. Nesses casos, um seguro evita qualquer desentendimento, garantindo tranquilidade para quem aluga e também para o proprietário.

Em caso de dúvidas, consulte um advogado para analisar o contrato de aluguel. Depois de assiná-lo, lembre-se de respeitar todas as regras e de zelar pelo imóvel para aproveitar suas férias sem preocupações.

Como pagar o aluguel de temporada

Evite pagar antecipadamente o valor total da locação. Ao pagar parte do valor, exija a confirmação de pagamento e guarde recibos, extratos bancários e outros documentos que comprovem a transação.

Aluguel de temporada por internet

Se a contratação for feita por aplicativo, salve ou imprima as telas. Saiba que o aplicativo de locação ou intermediação responde em caso de problemas. Ele é solidariamente responsáveis por problemas com a locação, conforme o Código de Defesa do Consumidor.

Em tempos de internet e redes sociais, cresce o número de golpes de locação de imóveis de temporada. Normalmente, os golpes envolvem imóveis em cidades distantes do interessado no aluguel, justamente para evitar que a vítima consiga conferir pessoalmente o imóvel.

Os golpistas publicam fotos falsas de imóveis em redes sociais e classificados, informando endereço em locais valorizados de praia e campo.

Para não cair nestes golpes, evite aluguel de temporada de ofertas enviadas por mensagens de WhatsApp ou compartilhadas em redes sociais.

Pode ser sinal de golpes se o suposto proprietário desconversar quando você der a ideia de ir pessoalmente ao local antes de fechar o aluguel de temporada. Outro indício de que pode ser golpe é quando o imóvel é em local distante, pois isso desencoraja o locatário de ir até o local. 

Cuidado com a ofera de imóvel a preços muito baixos.


 

Compartilhe.

Sobre o Autor

O Consumo em Pauta é um site com informações para o dia a dia do consumidor. Nossa missão é entregar aos leitores informações gerais sobre consumo, educação para o consumo e direitos e deveres de consumidores e fornecedores, além de dicas de como resolver pendências de conflitos de consumo. Nosso objetivo: relações de consumo menos conflituosas.